Instalação do Emacs

Aqui vai um texto antigo, que escrevi por volta de 2012, com o passo a passo que eu utilizo para a instalação do Emacs a partir do código fonte em meu desktop Linux.

O texto original referia-se à versão 24.2 do Emacs mas aqui atualizei o que foi necessário para a última versão, a 27.1. Talvez esse breve tutorial seja útil para você tanto quanto é para mim.

1 Introdução

A última coisa que o mundo precisa é de outro tutorial de instalação do Emacs… então aqui vai o meu!

A primeira coisa que você precisa saber é que este não é um tutorial genérico aplicável a todas as situações possíveis nas quais diferentes versões do Emacs são instaladas em diferentes sistemas operacionais e com todas as opções comentadas e explicadas. Se você busca esse tipo de informação, é melhor procurar em outro lugar. Minha sugestão é a documentação do Emacs.

Este tutorial demonstra simplesmente como eu faço para instalar o Emacs em meus sistemas Linux (openSUSE e SUSE Linux Enterprise Server, CentOS e Ubuntu). Meu principal objetivo é ter essas informações por perto para que, na próxima vez que eu precisar configurar e instalar o Emacs, eu não tenha que procurar a documentação na internet e descobrir novamente qual o encantamento correto do comando configure.

Se você está utilizando uma distribuição Linux razoavelmente recente com quase certeza absoluta o Emacs já vem instalado por padrão (se sua distribuição linux não instala o Emacs por padrão, é melhor você se perguntar se não está na hora de trocar de distribuição…). O problema é que as versões do Emacs que costumam ser instaladas por padrão não são as últimas versões, portanto pode ser interessante ignorar a versão pré-instalada e compilar a versão mais nova.

Última observação: se você acha que o Vi é o melhor editor de texto de uso geral para Linux, já passou da hora de experimentar o Emacs.

2 Passo a passo

Faça o download do código fonte da versão mais nova do Emacs em https://ftp.gnu.org/gnu/emacs/ e save o arquivo em um diretório temporário qualquer em seu computador. Eu costumo usar /home/abrantes/emacstemp. A versão mais nova disponível é a 27.1 (arquivo emacs-27.1.tar.gz).

Descompacte o arquivo com o comando “tar -zxvf emacs-27.1.tar.gz” (sem as aspas). Será criado um subdiretório emacs-27.1 (/home/abrantesasf/emacstemp/emacs-27.1).

Entre nesse subdiretório, como usuário normal, e dê o comando “configure” abaixo. Atenção:

  1. Eu gosto de instalar o Emacs em /opt e o comando abaixo reflete isso… se esse não for o seu caso, ajuste conforme a necessidade;
  2. O comando abaixo está quebrado em várias linhas apenas para facilitar a leitura, digite em uma única linha;
  3. O comando abaixo traz as configurações que eu utilizo, talvez você tenha que retirar ou acrescentar algo dependendo de suas necessidades. Para saber mais sobre as opções disponíveis consulte a documentação do Emacs ou digite “./configure --help“; e
  4. Com quase certeza absoluta o comando abaixo vai terminar em algum ERRO, devido à falta de packages de dependências… para corrigir isso você tem que verificar o erro, instalar as dependências apontadas e rodar o configure novamente. O Google é seu melhor amigo na busca da solução desse tipo de problema.
./configure --prefix=/opt/emacs-27.1 --enable-checking --enable-autodepend --enable-gcc-warnings --enable-check-lisp-object-type --with-mailutils --with-kerberos5 --with-hesiod --with-sound=yes --with-x-toolkit=gtk3 --with-wide-int --with-xwidgets --with-x --with-imagemagick --with-gpm

Obs.: o comando acima utiliza a opção “--enable-gcc-warnings“, que trata como erros quaisquer avisos do tipo Warnings do Gcc. Depenendo da versão da Gcc em seu sistema isso pode interromper a compilação sem que, de fato, tenha existido um erro. Se esse for o caso, retire essa opção do comando configure.

OK, o que acontece quando você digita o feitiço acima? Se você tiver sorte, depois de um certo tempo no qual mensagens do comando configure serão lançadas na tela, não irá receber menhuma mensagem de erro e o comando terminará com sucesso.

Se ocorrer algum erro o comando será interrompido e uma mensagem será mostrada. Você terá que identificar o que está causando o erro (quase 100% das vezes o problema é a falta de packages necessários para a compilação) e solucionar o problema (instale os packages apontados como faltantes) antes de rodar o comando configure novamente.

Se tudo correu bem, compile o Emacs com o comando: “make“. A compilação demora vários minutos, então aproveite para ler seus e-mails.

Se a compilação falhar com alguma mensagem de erro, você terá que investigar a mensagem de erro e resolver o problema por conta própria (novamente apele para seu amigo Google). Para “zerar” a compilação e começar de novo, execute os comandos “make clean” e “make distclean” (depois desses comandos você deverá rodar o comando configure novamente).

Se a compilação terminar sem nenhum erro, teste o executável do Emacs com o comando “src/emacs -Q“: o Emacs deve se iniciar e funcionar normalmente.

Se tudo deu certo até aqui, basta instalar definitivamente o Emacs com o comando “make install” (dependendo de qual diretório você escolheu no comando configure, a instalação precisa ser feita como usuário root para que a instalação não falhe por problemas de permissão de escrita nos diretórios).

A última coisa a fazer é criar um atalho no desktop para iniciar o Emacs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *